Horizonte de Eventos

Reflexões sobre a vida, o universo e tudo mais

Tag Archives: Música

Sob os trilhos da saudade

“Ói, ói o trem, vem surgindo de trás das montanhas azuis, olha o trem
Ói, ói o trem, vem trazendo de longe as cinzas do velho éon

Ói, já é vem, fumegando, apitando, chamando os que sabem do trem
Ói, é o trem, não precisa passagem nem mesmo bagagem no trem”

trem3Trem Por definição uma série de vagões puxados por uma locomotiva, sob grandes trilhos de ferro. Uma composição ferroviária, muitas vezes de tamanho colossal, que supõe-se ter sido idealizada em 1681 pelo jesuíta belga Ferdinand Verbiest em Pequim. Em 1769, Joseph Cugnot, militar francês, construiu em Paris uma máquina a vapor para o transporte de munições e após várias tentativas fracassadas, Richard Trevithick, engenheiro inglês, conseguiu em 1804, construir uma locomotiva a vapor que conseguiu puxar cinco vagões com dez toneladas de carga e setenta passageiros à velocidade vertiginosa de 8 km. A partir daí também conhecida popularmente como Maria Fumaça.

“Quem vai chorar, quem vai sorrir ?
Quem vai ficar, quem vai partir ?

Pois o trem está chegando, tá chegando na estação
É o trem das sete horas, é o último do sertão, do sertão”

Ahh saudades das viagens de trem… Muito me entristeceu esta semana ver que mais um símbolo da antiga linha férrea está sendo derrubado. O pontilhão que permitia os trens cruzarem a Av. Antônio Emmerich em São Vicente, sentido Estação Ferroviária está sendo derrubado para dar lugar a uma nova estrutura que comportará o VLT (Veículo Leve sob Trilhos). Felizmente é para uma boa causa, o progresso, a modernização, mas ainda assim, este fato não deixa de trazer boas lembranças.

“Ói, olhe o céu, já não é o mesmo céu que você conheceu, não é mais
Vê, ói que céu, é um céu carregado e rajado, suspenso no ar”

Recordo-me como se fosse ontem de minhas férias com meu irmão na casa de meus avós em Pedro de Toledo. Meu avô vinha nos buscar e as 13 horas partíamos com o velho trem de aparência metálica e com seus bancos gastos da extinta estação de Santos rumo a cidade de Registro. A viagem devia levar cerca de 4 horas, uma eternidade para os padrões atuais, mas nem sentíamos esse tempo passar pois além da paisagem maravilhosa, nos deparávamos com várias situações que, para uma criança era uma verdadeira aventura. Conhecíamos pessoas, lanchávamos, acompanhávamos o fiscal conferindo os bilhetes e curtíamos a viagem. Ao chegarmos em nosso destino, lá estava minha avó nos esperando com seu sorriso no rosto e os braços abertos. Beijos e abraços, pegávamos nossas malas e caminhávamos ladeiras abaixo (e acima), acompanhados até chegar em casa pelo pôr do sol sob a natureza que predominava na cidade.

“Vê, é o sinal, é o sinal das trombetas, dos anjos e dos guardiões
Ói, lá vem Deus, deslizando no céu entre brumas de mil megatons

Ói, olhe o mal, vem de braços e abraços com o bem num romance astral”

trem1O tempo passou e linha férrea não existe mais, como também a estação ferroviária de Santos, a de São Vicente e todas as demais que, passávamos acompanhados do alto apito do maquinista, e que nos aguçava a expectativa de estarmos cada vez mais próximos de nosso destino.
O progresso está chegando e as memórias ficando cada vez mais distantes. Sinto por esta realidade não existir mais, o sentimento se foi e nossos descendentes dificilmente poderão entender e até mesmo sentir o que vivemos. Além da nostalgia, ficam as gastas fotos, os grupos de discussão dos amantes dos trens e a bela música composta e maravilhosamente interpretada pelo Rauzito, pêga emprestada para intercalar os modestos e nostálgicos parágrafos deste texto.

Os trilhos, as estações e o pontilhão se vão, mas as lembranças permanecem na esperança de um dia serem revividas.

Anúncios

Tecnologia Mobile: Relatos de experiência Galaxy S II, Android e apps

Depois de seis meses de exaustivos testes, resolvi comentar sobre meu novo aparelho de celular, o Samsung Galaxy S II e os aplicativos que utilizo. Há diversos textos de especialistas sobre o tema, mas como um grande amante da tecnologia, e principalmente de gadgets, escolhi fazer o meu.

Há 3 anos satisfeito com meu Nokia E71, tenho visto este fabricante cair cada vez mais, diante dos avanços tecnológicos dos concorrentes como Apple, Samsung, HTC e Sony Ericsson, e a gota d’água foi, sem sombra de dúvida, a escolha “infeliz” de abandonar o sistema operacional Symbian e colocar em seu lugar o novo (Ru)Windows Phone 7. Eu confesso que estava aguardando o lançamento do Nokia E7, mas diante desta bomba, qual o sentido esperar por um aparelho com um sistema operacional praticamente morto, e sem a qualidade dos sistemas atuais como IOS e Android?

Assim, segui o caminho de muitos amantes do Symbian  também decepcionados, e segui novos rumos, adotando a plataforma do Google, o Android. Mas diante deste recém gigante do mundo da tecnologia mobile, qual modelo escolher? Pesquisei bastante, fiz vários comparativos e li muitas matérias em revistas e na Internet sobre os mais diversos modelos, mas no final acabei utilizando o melhor de todos os incetivos para compra, o quanto de grana eu tinha para gastar com um celular.

Diante deste fator predominante escolhi o Galaxy Ace, tendo em vista que era o primo pobre do Galaxy S e do recém lançado S II e dirigi-me até minha querida operadora de celular, a Claro. Ao negociar e quase fechar o negócio, fui informado que no meu plano o S II sairia R$ 80,00 mais caro que o Ace, o que me fez obviamente optar por ele.

Saí da loja feliz da vida com o smartphone mais top do momento, o iPhone Killer, como alguns estavam chamando, e seis meses depois não me arrependo nem um pouco desta escolha.

O aparelho é fantástico, com uma tela de 4,3 polegadas, o mais fino da categoria, com apenas 8,5 mm, um peso de somente 116g, com processador dual core de 1,2 GHz, 16 Gb de armazenamento interno e a última versão do sistema operacional Android, a 2.3.

Meu uso iniciou modesto, focando mais no uso básico de internet e redes sociais, como fazia com meu E71, mas não fazia sentido desperdiçar todo o poderio de processamento deste aparelho somente com o básico. Daí pra frente passei a pesquisar aplicativos e recursos avançados deste aparelho e hoje ele definitivamente substituiu meu computador de casa. São raras as vezes que utilizo meu notebook HP, pois a experiência de navegabilidade e praticidade do smartphone superou a do notebook. Claro que minha esposa é que mais gostou da idéia, pois hoje o notebook é 99% de uso exclusivo dela.

Mas, voltando a vaca fria, hoje este pequeno gadget é meu companheiro, permitindo que eu esteja sempre conectado e, não importa o que eu precise fazer, com ele eu consigo. Não há mais filas, salas de espera em consultórios médicos ou comboios na estrada que me deixa entediados, pois com este computador de bolso, acesso meus e-mails, leio notícias, converso com amigos e familiares, seja por mensagens, voz ou vídeo, assisto filmes e seriados, ouço rádio além da minha coleção de músicas e podcasts que assino. E, se necessito ir a algum lugar é só ligar o GPS e chegar ao destino.

Hoje já há concorrentes de peso para o Samsung Galaxy S II, mas na minha opinião, ele ainda é o melhor na relação custo X benefício. Para quem está na dúvida e pretende trocar um computador de mesa por algo mais leve, esta é uma excelente opção.

Bom, mas de nada ajuda somente falar da minha experiência, sem algumas das dicas de uso do aparelho, não? Bom, abaixo relaciono dicas de uso e aplicativos que cairam como uma luva para mim, e que servirá para muitos que tem outros aparelhos com Android turbinarem sua experiência.

Gerenciamento de energia:

Como qualquer smartphone, a bateria nunca é suficiente diante da imensidão de recursos disponíveis, assim, minha recomendação é que se atualize para a última versão disponível do sistema operacional. Para este modelo, a versão 2.3.4 é a mais nova, incluindo PT-br e traz grandes melhorias no gerenciamento de energia, poupando significativamente diante da sua versão antecessora.

Ainda assim, recomento o uso da aplicação Juice Defender para fazer um gerenciamento inteligente da energia e, principalmente do uso do 3G. Há duas versões disponíveis, uma gratuita e outra paga. Utilizo a versão gratuita, pois ela já me atende muito bem.

Nativamente também não é uma tarefa simples saber o percentual exato de bateria disponível. Para suprir esta necessidade, utilizo o widget Battery Solo, que apresenta na tela inicial, com precisão, o quanto de bateria ainda resta.

Conectividade:

Até o momento não tive necessidade de nenhuma aplicação específica para conectividade, pois a versão atual do Android já vem com tudo, exceto o controle de tráfego de dados. Testei vários aplicativos, mas sem dúvida que o mais preciso é o 3G Watchdog. Há uma versão gratuita que atende perfeitamente bem. Utilizei durante 2 meses a versão gratuita e agora estou com a Pro, que traz um detalhamento por aplicativo e relatórios com as totalizações de consumo. Vale a pena, principalmente para quem tem planos de dados limitados e não quer gastar $ a mais com as surpresas da fatura.

Gerenciamento de Aplicações:

Com certeza não há muito o que falar, pois o Market já é bem completo e atende perfeitamente as necessidades dos usuários mais comuns. Também está disponível a Samsung Apps, com alguns aplicativos interessantes. Além deles, vale destacar os aplicativos AppBrain e o GetJar, sendo que o primeiro permite maior flexibilidade no gerenciamento dos aplicativos e o segundo oferece vantagens junto a aplicativos pagos do Market.

Gerenciamento de Arquivos e de configurações:

Para gerenciamento de arquivos, o aplicativo nativo é bem fraquinho. Recomendo o  ASTRO File Manager que é bem mais completo.

para gerenciamento das configurações do aparelho, o Android System dá um banho de informações que nem sabia que existiam e o Norton Utilities/Security complementa as funcionalidades que faltam nativamente.

Localização:

No que diz respeito a localização, o Google Maps + Navegação + Latitude + StreetView são indispensáveis. Outros softwares interessantes que tenho comigo são Compass, uma bússola que me surpreendeu quanto a sua precisão e o Google Sky Map. Nenhum dos dois é indispensável, mas é muito interessante tê-los.

Como qualquer smartphone, por mais avançado que seja, não se compara com um aparelho GPS no que diz respeito a velocidade e precisão, os aplicativos GPS Test e Estado do GPS se tornam uma mão na roda em alguns momentos em que o sensor GPS dá uma engasgada.

Falando em GPS,  aplicativos de trânsito como o Trânsito Estadão, o TrânsitoSP, o Olho da Estrada e o RadarDroid são indispensáveis. O último, vale a pena ter a versão paga, pois trabalha melhor em segundo plano, não polui a tela com publicidade e consome muito pouco do seu pacote de dados.

Outros aplicativos interessantes são Guia+, iLocal e Cadê Meu Banco, todos gratuitos e que ajudam a achar lugares nas redondezas quando mais precisamos.

Além do Navegador do Google Maps, estou testando o Route 66 e o NDrive , pois são aplicativos de navegação offline, indispensável para aqueles momentos que estamos sem pacotes de dados disponíveis.

Previsão do Tempo:

Nativamente não há opções. Testei diversos aplicativos e nenhum foi tão bom quanto ao ForecaWeather que tinha no meu E71. Até há uma versão para Android, mas ainda está bem incompleta. O escolhido acabou sendo o Beautiful Widgets, que traz informações precisas, atualizadas satisfatoriamente, além de uma animação com gráfico bem legal.

Músicas e Vídeos:

Os aplicativos nativos atendem bem o uso regular, mas há boas opções gratuitas com recursos mais avançados, como mVideoPlayer e o Meridian, dois ótimos aplicativos, cheios de recursos e que atendem muito bem às minhas necessidades. Além disso, recomendo também o Shazam, para reconhecimento de músicas e o BeyondPod para gerenciamento de feeds de podcasts. Para esta última funcionalidade, acabei de instalar o KiesCast, da própria Samsung, mas ainda não tenho uma opinião formada.

Fotos:

O aplicativo nativo da câmera tem sido suficiente para mim, pois não utilizo de pesadamente a câmera do celular. Para isso tenho minha Sony DSC-H20. Testei algumas aplicações interessantes como Camera 360 e o FX Camera, mas acabei desinstalando. Continuarei no aguardo do Instagram para Android. A aplicação Photoshop Express é interessante para colocar alguns efeitos e ajustas algumas imagens, mais do que suficiente para um celular.

Internet e Redes Sociais:

No que diz respeito às redes sociais, não há muitas dicas diferentes de outros textos, incluindo as aplicações oficiais como LinkedIn, Foursquare, Facebook, Twitter e G+. Outras aplicações que utilizo são GetGlue para compartilhamento de filmes, séries e músicas, Nimbuzz que permite conversas por chat e por voz integrado às redes MSN, GTalk, Facebook Messanger, Yahoo Messenger e ICQ. Há também o Skype que é uma aplicação completa e não perde em nada para a versão desktop, permitindo chat, conversas por voz e vídeo. O único ponto negativo do Skype é a lentidão no carregamento da lista de contatos online, mas nada que prejudique a experiência.

Na guerra dos navegadores, o nativo atende muito bem, mas para raras situações é sempre bom ter alternativas, destaque para o Dolphin Browser. Também são boas opções: Skyfire, Opera Mini e Opera Mobile.

Notícias:

Como um ex-jornalista, esta lista é grande, portanto vou apenas citá-los: Google Reader, F1, Nasa, PopSci, Folha, Estadão, Exame.com, O Globo, Época, Veja, Autoesporte, Galileu e Notícias Automotivas. O primeiro é um agregador de feeds, sendo assim, pode ter acesso a infinitas fontes de informações.

Outros aplicativos interessantes são GuiaTV Mais Br, com a programação diária da TV aberta e paga brasileira, com opção de compartilhamento com redes sociais e alarmes, Vôos Online, com as informações dos vôos nos aeroportos brasileiros, o IMDb, com um imenso catálogo de informações sobre filmes, séries, atores e etc. Há também o ReadItLater, que permite que você guarde links para ler depois, para o caso de estar offline.

Utilitários:

A lista é grande:

  • uTorrent Remote: acesse e gerencie os torrents de seu desktop remotamente;
  • Lanterna: Tenha uma lanterna sempre a mão. Utiliza a luz do flash como lanterna;
  • Magnify: Tenha uma lupa sempre a mão. Utiliza a câmera como lente de aumento;
  • Decibelímetro: Saiba quantos decibéis está no ambiente;
  • Bubble: Tenha uma régua de alinhamento sempre a mão;
  • ConvertPad: Conversor de tudo para tudo. Excelente;
  • Barcode Scanner: Indispensável para quem usa aplicativos de realidade aumentada;
  • Contador de Calorias: Muito bom aplicativo. Vale a pena para quem buscar manter ou perder peso;
  • Fecha Conta: Para facilitar a divisão da conta;
  • FakeCaller: Configure e receba ligações para escapar daquelas reuniões chatas;
  • TeamViewer: Permite a visualização e utilização do desktop remotamente. Consome muito do pacote de dados, mas com wi-fi funciona de boa. Indispensável;
  • Jeannie Vlingo: Tentativas de assistente pessoal para competir com o Siri do iPhone. Ainda não estão maduros o suficiente e não funcionam e português;
  • ImageShrink: Utilitário bem interessante para reduzir o tamanho das fotos antes de enviar para as redes sociais/e-mail. Com ele podemos poupar MB do nosso pacote de dados;
  • Meu Carrinho: Aplicativo bem interessante para auxiliar nas compras do mês. Vale a pena;
  • Gtasks: Aplicativo para sincronizar as tarefas com o Google;
  • Dicionários e tradutores;
  • WordPress: aplicativo oficial. Simples e útil para gerenciamento do blog;

Ficam aí as dicas.

Tempo… tempo mano velho…

Hà algum tempo que não escutava esta excelente canção do Pato Fú. Não que esta seja uma das minhas músicas favoritas, porém o tema tratado por ela, o passar do tempo, é algo extremamente significativo, e que nem sempre estamos atentos. Os mais nostálgicos vão lembrar-se também daquela: “O tempo passa, o tempo voa …“, mas o maior detalhe é que a Poupança Bamerindus nem existe mais, porém cá estamos nós.

O mais importante, em se falando do passar do tempo, não é nem as teorias da física que regem o continum do espaço-tempo, do universo e das energias cósmicas que nos cercam desde o Big Bang, mas sim o que estamos fazendo com este tempo. Será que o estamos aproveitando como deveríamos? Creio que, se refletimos cuidadosamente, a resposta seja não, a minha pelo menos é assim.

No dia a dia estamos lá trabalhando das 8 às 18 horas, alguns até mais que isso, depois voltamos para nossas casas, e nem sempre conseguimos nos dar conta de que o tempo está passando e pouco estamos realizando. Qual tem sido a sua contribuição para o mundo? Será que estamos firmes com as rédeas da vida ou estamos apenas sendo um peão em um tabuleiro de xadrez comandado pelos outros?

Lutemos contra este jogo! Viremos o tabuleiro a nosso favor! As melhores maneiras de aproveitar o tempo não é trabalhando ou sendo esnobes com os outros, mas sim quando estamos atendendo nossas necessidades mais intrínsecas, mais básicas, de auto-conhecimento, as quais somente nos fortalece diante do mundo que nos cerca, e nos trás, não apenas conhecimento, mas sim sabedoria. Esta sim tem valor.

Diante disso, família e amigos são as principais ferramentas para a conquista desta evolução como o “Ser Humano” que somos, são com eles que devemos estar com o passar do tempo, valorizando-os e retribuindo a eles o que são para nós.

Que o tempo passe, que o tempo voe… e que estejamos aqui juntos fazendo a diferença para o mundo!

Claudio Bassani

Músicas com um toque de diversão

Hoje peguei para ouvir a trilha sonora de uma série de televisão que gosto muito, How I Met Your Mother. Foi impressionante como só de ouvir as músicas tantas lembranças tenham vindo a tona.

Mesmo depois de seis temporadas, e já iniciando-se a sétima, foi possível relembrar de episódios específicos, suas situações inusitadas e mais ainda, as minhas lembranças pessoas, as quais relacionei com este ou aquele episódio.

Como qualquer série americana de comédia, é claro que há exageros e situações que para nossa realidade não fazem sentido algum, porém, fui pego por esta série pela leveza do roteiro e, principalmente pela proximidade das situações vividas pelos protagonistas com uma realidade que agrada-me muito, a do relacionamento entre amigos.

Bom, mas o título do post começa com a palavra música, certo? Independentemente de terem assistido a série, tenho certeza que aqueles que gostam de música apreciarão estes álbuns, pois há músicas conhecidas, novas versões, agitadas, românticas e até clássicas. Tem para todos os gostos.

Para quem me conhece bem, sabe o significado que a Música tem para mim, sendo assim, espero que curtam esta dica, e tenham certeza que este tema será muito abordado por aqui.

Claudio Bassani

%d bloggers like this: